Manifestações de características nazifascistas atacan as escolas brasileiras

188

Antonio Martins

Os últimos anos, e precisamente nas últimas semanas uma onda ideológica de ataques Nazifascistas vem ocorrendo nas escolas brasileiras e com aumento de frequência, um tipo de terror que não existia no sistema social e político do Brasil, e, consequentemente, nas Américas, tanto do Sul como na Central. Esse tipo de criminalidade era, e, é comum e frequente nos Estados Unidos, talvez, por motivações daquele país ter sido um sistema de colônia que alimentou muitos sentimentos de preconceitos tanto religioso como racial.

As colônias inglesas sempre foram marcadas por fortes preconceitos raciais com apartheids uma forma mais visível de racismo contra as pessoas de cor de pele negra e indígenas. Inserindo também neste tipo de sentimento supremacista outras colônias europeias, entretanto, a que mais traz estas característica de racismo estrutural é os EUA, até mesmo, porque é o império dominante capitalista que edita as regras de poder para o mundo.Nazismo em escolas brasileiras acende alerta - 02/01/2023 - Educação - Folha

Ao longo de décadas ouvimos nos noticiários midiáticos reportagens sobre ataques com vítimas fatais com armas de fogo, e outros tipos de armamentos nas escolas daquele país. Quando se analisam as motivações destes ataques terroristas naquele país, geralmente estão por trás sentimentos fascistas da “ku klux klan.” Um tipo de ódio racial de supremacia que talvez tenha a sua origem na organização dos Templários das Cruzadas, e, que permaneceu alimentado dentro do imaginário de tais povos conquistadores este sentimento de supremacia em relação a etnias que são julgadas inferiores.

No Brasil apesar dos preconceitos gerados pela forma de colonização portuguesa católica que aqui foi implantado não havia esse tipo de sentimento de intolerância para com as pessoas de cor de pele negra, o tipo de preconceito sofrido aqui é diferente, o que não quer dizer que é menos doloroso.  Porém, não havia este tipo de agressão física com fatalidade letal em escolas brasileira

Geralmente, as populações de etnias minoritárias aqui sofrem ataques dos aparatos de segurança pública e ataques violentos da sociedade, onde morrem em maiorias negros de convívios de aglomerados de favelas e povos indígenas que sofrem ataques de fazendeiros latifundiários nas periferias camponesas. Porém, vem se percebendo que um novo tipo de ataques violentos estão ocorrendo no sistema escolar do Brasil. Parece que uma certa onda de modismo violento vem sendo adotado por pessoas da sociedade que tentam reproduzir o que ocorria com frequência naquele citado país imperial.

As autoridades buscam decifrar se o que estão motivando tais atos sejam as novas tecnologias de aparelhos celulares com jogos, informações tecnológicas que afetam os jovens que cada vez mais ficam isolados em seus ambientes de isolamentos e que portanto, estão sendo bombardeados com ansiedades o que termina expressando tais sentimentos de violências. É uma das vertentes analisadas nas diversas linhas de investigações. Entretanto, há uma forte coincidência de tais sentimentos estarem alinhados à política de extrema direita que vem sendo promovida e amplamente divulgada no mundo ocidental por seguimentos radicais do liberalismo econômico e político imperial.

História – A emergência do Nazifascismo: identificar/problematizar características  nazifascistas na atualidade. – Conexão Escola SMEDesde 2013, uma onda de ideologias denominadas de “Prima Vera Árabe” vem sendo amplamente divulgadas e promovidas no Brasil, as supostas ideologias em menos de dez anos, fez diversas transformações políticas na estrutura do pensamento, social, econômico e cultural do país. Até mesmo a forma de fazer política foi modificada no pais em curto período de tempo em que as ideologias imperiais vem sendo promovidas dentro da estrutura social do Brasil.

As redes sócias da internet trouxeram uma nova forma de politização, percebe-se que o país ficou polarizado, e cada vez mais está se tornando difícil modificar essa forma de pensar a sociedade entre dois polos, um é a política do bem o outro a do mal. É uma forma deturpada de se entender o conceito político de pensamento de direita e de esquerda. Simplesmente, ser de esquerda é ser do mal e de direita do bem. Fica pior ainda quando se busca o entendimento conceitual de Comunismo e capitalismo. Geralmente, para quem se intitula de direita ser comunista é ser do lado mal, diabólico, e ser capitalista é ser alguém do bem, a serviço de Deus.

Todas estas formas de ideologias populares em um pais que teve o seu sistema escolar público tardio como é o caso do Brasil que instituiu o ensino público obrigatório praticamente no segundo período da era Vargas, em 1935, fica difícil frear tais conceitos errôneos de ideologias por falta de leituras e formação educacional de uma população que é malmente educada pera o trabalho. Inclusive, o último governo brasileiro derrotado nas urnas, em 30 de outubro do ano passado, cujo grupo político é denominado de movimento bolsonarista, seguidores das ideias de Jair Bolsonaro, trazia a ideia de reformar o currículo do ensino fundamental e nível médio, retirando as matérias curriculares de filosofia, história e sociologia, deixando somente como matérias fundamentais para o ensino unicamente as disciplinas práticas, língua portuguesa, matemática e ciências biológicas. RAFAEL HIDALGO FERNÁNDEZ. Jair Bolsonaro: Autorretrato de un fascista –  insurgente.org . Tu diario de izquierdas

Era a forma de retirarem as disciplinas que estimulam aos questionamentos críticos. O referido grupo político argumenta que o Brasil é dominado por forças comunistas do mal e que precisava frear a mente ideológica cultural instituída pelo educador Paulo Freyre que culturalmente impregnou no MEC, (Ministério Da Educação e Cultura), a ideologia Marxista.

Na realidade o pensamento de extrema direita estadunidense vem sendo difundido por todas as Américas gerando graves problemas e conturbações políticas, sociais, econômicas e culturais. Percebe-se que o continente que teve como base de pensamento colonizador o Espanhol e Português católicos, nos últimos quarenta anos vem sendo ideologizados por uma interpretação estadunidense protestante e capitalista aos moldes de pensamento do citado país. Observa-se que tais ideologias vem sendo difundidas ao longo de cerca de meio século de empresa cinematográfica Hollywood que cotidianamente bombardeia as sociedades com filmes violentos em que o Americano estadunidense com os seus símbolos nacionais são colocados como vencedores entre a guerra do bem contra o mal.

Tudo isto leva a se analisar que a população mal formada, educacionalmente em que o sistema escolar malmente alfabetiza para o mecanismo de produção no sistema produtivo do trabalho, portanto, não são educados para filtrarem as informações que chegam através de aparelhos celulares com tecnologias de ponta, concomitantemente, sem tais filtros não conseguem separar o falso do verdadeiro, se é que podemos chamar assim, as Fake News, que vem se tornando problemas gravíssimos nas democracias estão se tornando verdadeiras ameaças à democracia, não se sabem mais o que é liberdade de expressão.

Cinco 'fake news' que beneficiaram a candidatura de Bolsonaro | Noticias |  EL PAÍS BrasilPara alguns, difundir mensagens de ódio e ideias nazistas se constituem também liberdade de pensamento. E portanto, elas são utilizadas ideologicamente como armas da política de extrema direita instrumentos que vem alienando as massas que não conseguem separar a ideia de verdade e falso. A maior expressão desta realidade foi o ataque violento do dia 08 de Janeiro de 2023, às Instituições democráticas do Brasil, liderados por insatisfeitos da derrota política de 30 de outubro de 2022, em que derrotou Jair Messias Bolsonaro, cujo ex-presidente colocou em dúvida a lisura do pleito eleitoral brasileiro. Manifestação semelhante a que ocorreu nos Estados Unidos com a invasão do Capitólio.

Tudo isto nos leva à conclusões de que está havendo um alinhamento ideológico entre a direita norte-americana e a brasileira em que os métodos e meios operantes são semelhantes. Portanto, os frequentes ataques às escolas não são fatos unicamente isolados, nos leva a analisar que existe um alinhamento ideológico com os frequentes ataques violentos ocorridos com maior frequência no citado país imperial, o qual resiste em não diminuir o comercio de armamentos.

Lamentavelmente, concluindo, não vai ser matéria fácil combater este espírito violento terrorista que está cada vez mais sendo praticado contra as escolas, pois, as unidades de ensinos brasileiras ainda convivem com os graves problemas do comércio de drogas que são praticados em frentes de unidades estudantis, principalmente, as mais periféricas. Portanto, vai ser tarefa política muito difícil salvar e proteger as escolas brasileiras contra ataques violentos. El fascismo brasileño armó a estos jóvenes|Blog|teleSUR

Pois, não basta, colocarem aparatos policias armados em frente de tais estabelecimentos de ensino, o problema está na ideologia. Serão necessários, para tanto, uma reforma na forma curricular, o aluno precisa ser formado para a cidadania, para entender o seu contexto sócio político, será necessário a promoção e implementação dos diretos sociais, inclusão econômica no PIB, divisão de renda, profissionalismo e cidadania plena. O Parlamento brasileiro ao longo da história política tem tentado resolver os distúrbios sociais com leis de repressão, entretanto, a Lei por si só são ineficientes para resolver os problemas sócias, pois, estas devem ser legisladas com a promoção de leis reparatórias dos direitos de cidadanias.

 

 

*Licenciatura em História pela Universidade Leonardo Da Vince SC, Uniasselvi Polo em Feira de Santana BA. Licenciatura em Música pela UEFS-BA. É integrante da Rede Internacional de Cátedras, Instituições y Personalidades sobre o Estudo da Dívida Pública (RICDP – www.ricdp.org)